As finas partículas de sal, que os pacientes respiram durante uma sessão de haloterapia, atingem os pulmões, penetrando em todos os recantos dos brônquios, bronquíolos e alvéolos pulmonares.  Essas micro-partículas são responsáveis por reduzir a viscosidade do muco existente em excesso, ajudando a restaurar o fluxo mucociliar normal, removendo ainda outros agentes patológicos e partículas indesejadas que se encontrem alojadas nas vias aéreas inferiores, limpando-as.

O aerossol de sal que é constantemente ventilado e espalhado na “gruta” de sal, transforma iões positivos em iões negativos, os quais desempenham um papel fundamental no fortalecimento do sistema imunológico dos doentes respiratórios, provocando ainda um sentimento de bem-estar geral nos utentes.